HThe
Hm

Notícias na Florêncio de Abreu

Listando: 6 à 10 de 1064
Sucesso da SpaceX fez os russos perderem a linha

Até agora a primeira missão de testes da nova cápsula Dragon da SpaceX tem sido um sucesso retumbante, mas um grupo em especial não está nada satisfeito, e chegaram a demonstrar isso, em um raro momento de emoção: Os russos.

Eles estavam em uma posição bem confortável. Com o fim do programa do ônibus espacial a NASA passou a depender 100% dos russos para levar e trazer astronautas para a Estação Espacial Internacional, isso provocou uma inflação do custo das viagens que beira o absurdo. Charles Simonyi, da Microsoft pagou US$19 milhões para voar numa Soyuz e conhecer a Estação Espacial Internacional. Ele aliás a visitou duas vezes, em 2007 e em 2009, mostrando que a nova geração de bilionários geeks têm outras prioridades para gastar seu dinheiro, sem ser com mulheres rápidas e cavalos lentos.

Esses bons tempos acabaram quando o Shuttle se aposentou em 2011, e hoje a NASA tem que pagar US$90 milhões por cada astronauta que manda pra ISS. Esse dinheiro é maior do que o custo de produzir e lançar o foguete e a Soyuz. Os russos viajam literalmente de graça, a NASA está basicamente bancando o programa espacial deles.

Agora com a SpaceX (e futuramente a Boeing) essa mamata vai acabar, e a ROSCOSMOS está vendo sua fonte de renda ir pro espaço, se me permitem a expressão.

Os russos eram tão marrentos que depois de uma confusão quando o Congresso dos EUA percebeu que os foguetes americanos usavam motores russos e levariam anos e bilhões de dólares para desenvolver uma alternativa própria, Dmitry Rogozin, chefe da ROSCOSMOS soltou:

“Depois de revisar as sanções contra nosso programa espacial, sugiro aos Estados Unidos que mandem seus astronautas para a Estação Espacial usando um trampolim.”

Claro que depois os motores voltaram a ser vendidos, mas os russos continuaram a olhar feio, e isso culminou com o twit enviado após a chegada da Crew Dragon à ISS:

A mensagem congratulava a NASA, ignorando completamente a SpaceX e Elon Musk, e ainda vinha com uma estranha parte falando sobre a segurança, que deveria ser prioritária. Mais tarde eles publicaram uma versão em inglês, sem a parte da segurança mas de novo sem mencionar a SpaceX.

Alguns disseram que o argumento para a omissão era que a nave havia sido encomendada pela NASA, mas não colou. Também ficou estranho os russos reclamarem que a ISS foi "invadida" por forte contaminação de isopropanol, quando os sensores detectaram somente um mínimo além do normal, facilmente removido pelos filtros ambientais, e na prática provavelmente foi o estagiário da SpaceX que usou álcool isopropílico demais para lustrar o interior da nave.

Quem botou o dedo na ferida mesmo foi Vadim Lukashevi, um engenheiro espacial russo que foi demitido por não concordar com os rumos que a ROSCOSMOS estava tomando. Ele falou em entrevista ao Ars Technica que os russos estão ressentidos. A Soyuz é uma nave totalmente obsoleta, projetada nos tempos de Sergey Korolev, mesmo a nave chinesa se baseou nela mas foi reprojetada do zero, e a Dragon está em outro nível.

A Soyuz leva 3 pessoas neste nível de conforto:



Já a Dragon está configurada para quatro tripulantes, mas tem espaço interior para levar até sete, com razoável conforto:



O desespero dos russos foi tão evidente que eles sequer autorizaram a Dragon a acoplar com a Estação, mandaram vários impedimentos formais, devidamente ignorados pela NASA. Não duvido nada que reclamem até da Terrinha de Pelúcia, o Indicador de Microgravidade de Alta Tecnologia que a SpaceX mandou na Dragon e foi sequestrado pelos astronautas, e agora habita a Estação:

(Fonte: Carlos Cardoso ) - 07/03/2019
Google Maps agora alerta sobre radares de velocidade

Recurso funciona de forma semelhante ao Waze, onde usuários são responsáveis por reportar os avisos

O Google Maps começou a liberar um recurso que exibe a localização exata de radares de velocidade nas pistas e avenidas das cidades. A função é gratuita e faz parte da última atualização do serviço.

Em novembro do ano passado, a companhia começou a testar o recurso semelhante ao que o Waze oferece. Mas agora, a novidade finalmente começa a ser liberada. Segundo o site Android Police, mais usuários começaram a notar a presença do recurso no Google Maps.

Como funciona - Toda vez que o condutor estiver próximo a um radar, a plataforma deixará o equipamento em destaque. Além disso, os radares poderão ser visualizados ao ampliar o campo de alcance do mapa - eles são representados por uma câmera dentro de um círculo laranja.

Outra característica da última atualização é que o Maps também avisará quando houver obras na estrada. Neste caso, o app também adota a mesma prática do Waze, em que os próprios usuários da ferramenta fazem as postagens informando sobre os alertas. Ao identificar um envio expressivo de um mesmo acontecimento, o Maps então faz a atualização em tempo real.

Da mesma forma como acontece no Waze, são os próprios motoristas que utilizam o Maps que serão responsáveis por enviar avisos sobre o que encontram em seus trajetos, tornando assim a ferramenta mais colaborativa. Até então, o Google Maps dependida de fontes oficiais ou do banco de dados do Waze para exibir informações na plataforma.

Por enquanto, os novos recursos estão sendo liberados gradativamente para os usuários do Google Maps nos tablets e smartphones, inclusive aqui no Brasil. O aplicativo pode ser baixado em

dispositivos Android e iOS.


(Fonte: @idgnow Da Redação) - 26/02/2019
RANKING COLOCA NET COMO EMPRESA DE BANDA LARGA FIXA MAIS RÁPIDA

Comparativo levou em conta medições feitas entre clientes Oi, Net e Vivo.

A empresa de comparação de planos de banda larga MelhorPlano divulgou o resultado de um levantamento que realizou ao longo de 2018. A startup colheu medições de velocidades feitas pelos usuários do site MinhaConexão (parceiro da MelhorPlano) para elaborar um ranking das provedoras brasileiras.

Para chegar ao resultado final do ranking, a empresa desconsiderou competidores que não tenham atingido ao menos 3% das medições de velocidade no site ao longo de um ano. Com isso, identificou que usuários Vivo, Net e Oi concentram as medições. Mas qual se saiu melhor?

Dentre as três, a NET registrou velocidade média mais alta, de 23,01 Mbps. Ao todo, 7,2 milhões de clientes Net fizeram medições usando o site Minha Conexão em 2018. A Vivo, por sua vez, foi a segunda colocada, com velocidade média de 15,52 Mbps, para 8,4 milhões de testes. A Oi teve o pior desempenho. Com 6,2 milhões de testes, o Velox entregou velocidades médias de 5,24 Mbps.

A velocidade média leva em conta a velocidade de download e upload. Utilizou-se uma distribuição normal na qual os valores do percentil 10, percentil 50 (também conhecido como mediana) e percentil 90, foram combinados em uma média ponderada usando uma proporção de 1:2:1, respectivamente. Ao todo, foram comparados dados de 39,9 milhões de medições de velocidades.

(Fonte: Da Redação Terra) - 26/02/2019
Pesquisadores puxam tomada de IA que aprendeu a escrever bem demais

IA geradora de texto aprendeu a escrever tão bem, que pesquisadores não vão divulgar o trabalho completo, para evitar que seja usada para criar Fake News

O OpenAI, um grupo de pesquisa focado em IA sem fins lucrativos, que trabalha para desenvolver inteligências artificiais úteis e seguras tomou um belo susto: seu novo sistema de aprendizado de máquina voltado à geração de texto, capaz de prever uma próxima palavra em uma sentença, e continuar a criar a partir dali, aprendeu tão bem a escrever como um humano que o grupo não irá divulgar a pesquisa completa, temendo que ela seja usada para o mal.

A OpenAI foi fundada em 2015 por Greg Brockman, ex-CTO da Stripe, e Sam Altman, presidente da aceleradora Y Combinator, com o intuito de desenvolver IAs amigáveis e úteis, que servissem a seu propósito de auxiliar na resolução de problemas, e que ao mesmo tempo não se tornassem uma fonte de dores de cabeça. Esse discurso se alinha com o de diversos especialistas, como Stephen Hawking, e empreendedores, como Elon Musk, que morre de medo do apocalipse robótico. Não surpreende, portanto que a OpenAI conte com dinheiro do Musk, de outros membros da "Máfia do PayPal" (Peter Thiel e Reid Hoffman) e da própria Y Combinator, através Altman e Jessica Livingston.

O sistema chamado GPT-2 (Generative Pre-trained Transformer-2) é uma dessas IAs seguras, desenvolvida para ser um simples gerador de texto. Ela funciona recebendo uma entrada inicial, na forma de uma sentença simples, e a partir dali prever as próximas palavras que melhor se encaixariam em um texto fluído. Ela identifica o estilo literário e mantém uma narrativa convincente, graças ao treinamento que usou 40 GB de dados, extraídos de 8 milhões de páginas da internet.

No entanto, o GPT-2 se saiu melhor do que a encomenda. Em um exemplo, a IA recebeu a seguinte sentença:

"Em um achado chocante, o cientista descobriu uma manada de unicórnios vivendo em um remoto vale até então inexplorado, na Cordilheira dos Andes. Ainda mais surpreendente para os pesquisadores foi o fato de que os unicórnios falavam um inglês perfeito."

Com apenas esses dois parágrafos, a IA foi capaz de escrever um texto fantástico por mais nove páginas, com fluidez e estilo consistentes. Estes são os parágrafos seguintes à entrada original:

"O cientista deu à população um nome baseado em seu chifre característico: o Unicórnio de Ovídio. Estes unicórnios de quatro chifres e cor branco-prateada eram anteriormente desconhecidos para a ciência.

Agora, depois de quase dois séculos, o mistério do que desencadeou esse estranho fenômeno está finalmente resolvido.

Dr. Jorge Pérez, biólogo evolucionário da Universidade de La Paz, e vários companheiros estavam explorando a Cordilheira dos Andes quando encontraram um pequeno vale, sem outros animais ou humanos.

Pérez notou que o vale tinha o que parecia ser uma fonte natural, cercada por dois picos de rocha e neve prateada."

Como dá para notar, o GPT-2 tem alguns problemas com textos específicos demais (o unicórnio de quatro chifres, no caso), que demandam contexto e conhecimento referencial, mas em testes com textos mais conversacionais, ou em tópicos com grande quantidade de material para referência disponível (Brexit, Miley Cyrus, O Senhor dos Aneis, e etc.), a IA apresentou "resultados razoáveis" em 50% dos casos, ainda que necessite de mais de uma tentativa para entregar um texto coeso.

A equipe do The Guardian conseguiu testar o software, e introduziu a primeira frase de 1984, de George Orwell (“Era um dia frio e ensolarado de abril, e os relógios batiam treze horas”), como um teste. O GPT-2 reconheceu o estilo literário, e retornou isto:

"Eu estava no meu carro a caminho de um novo emprego em Seattle. Eu abastecei, coloquei a chave, e então dei partida. Eu apenas imaginei como seria o dia. Daqui a cem anos. Em 2045, eu seria professor em uma alguma escola na parte pobre da China rural. Eu começaria com história chinesa e história da ciência."

A equipe do OpenAI percebeu que o GPT-2 também se saiu muito bem em tarefas para as quais não foi projetado, como tradução de textos e elaboração de resumos, e apresentou ensaios dos mais variados, desde um artigo explicando por que reciclagem é ruim, a um discurso de John F. Kennedy, reeleito presidente após ter seu cérebro (ou o que sobrou dele) transplantado em um robô.

Dado o alto nível de proficiência que o GPT-2 alcançou, os pesquisadores do OpenAI decidiram por não divulgar o trabalho completo em um artigo, como é de praxe em pesquisas científicas, e ao invés disso, forneceram os dados de uma versão inferior, menos capaz, para revisão por pares.

Segundo o OpenAI, embora o GPT-2 não seja perfeito, ele já escreve bem o suficiente para criar notícias suficientemente convincentes, de modo que a versão final seria inevitavelmente usada para a composição de notícias falsas, as tão temidas Fake News. O The Guardian demonstrou isso, publicando uma nota escrita pela IA ao fornecer apenas os dois primeiros parágrafos da notícia verdadeira, e os resultados impressionam; segundo o jornal, o GPT-2 só levou 15 segundos para compor a notícia, com 515 palavras e 3.056 caracteres.

A preocupação do OpenAI não é apenas com Fake News, mas também com a possibilidade de automação de e-mails de phishing, ou com bots se passando por pessoas reais em redes sociais de forma mais convincente, chegando até ao assédio automatizado. Por outro lado, há uma série de benefícios, como a possibilidade de gerar melhores softwares de reconhecimento de fala e escrita, ou de agentes de diálogo.

O grupo pretende discutir sua estratégis de divulgação da pesquisa com a comunidade de pesquisadores da área de Inteligência Artificial, de modo a definir a melhor abordagem para compartilhar suas descobertas sem que o GPT-2 seja abusado; a OpenAI pretende vir a público com novas informações daqui a seis meses.



(Fonte: Ronaldo Gogoni) - 18/02/2019
Site usa inteligência artificial para gerar rostos falsos impressionantes

Criado por Philip Wang, engenheiro de software do Uber, o site tem intuito educacional: alertar sobre o potencial da tecnologia, que já consegue criar rostos bem parecidos com os reais

Essas pessoas que estão na foto acima não existem: seus rostos são criações de um sistema de inteligência artificial. O site que hospeda as imagens, chamado de ThisPersonDoesNotExist.com, tem uma única página em que mostra em tela cheia um rosto de uma pessoa que não existe. As fotos, que impressionam por terem aparência real, são exibidas uma de cada vez, a cada nova atualização da página.

Criado por Philip Wang, engenheiro de software do Uber, o projeto tem intuito educacional. "Decidi tirar dinheiro do meu próprio bolso para conscientizar as pessoas sobre o uso desta tecnologia", disse Philip Wang, em uma postagem no seu perfil do Facebook. Para criar o banco com imagens de rostos falsos, o engenheiro se baseou em uma pesquisa feita pela empresa de tecnologia Nvidia.

Por trás da tecnologia está um algoritmo que é treinado a partir de um banco gigante de imagens reais. Com as informações captadas, o algoritmo consegue misturar traços e características para criar rostos artificiais.

Embora essa tecnologia possa criar imagens virtuais e ajudar ilustradores e designers, há questionamentos sobre o seu perigo para a sociedade. Além do problema de criação de perfis falsos na internet, tecnologias desse tipo são usadas em conteúdo pornográfico para colocar rostos de famosos em outros corpos, por exemplo - técnica conhecida como "Deep Fake".

(Fonte: Redação Link Estadão) - 18/02/2019
Listando: 10 de 1064

Anuncie

Sobre o Portal da Florêncio de Abreu

O Portal da Florêncio de Abreu foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua Florêncio de Abreu no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de ferramentas e ferragens.